Pós EAD em Enfermagem no manejo da dor

Foto do curso Enfermagem no Manejo da Dor

     A sensibilidade para entender o sofrimento decorrente da dor certamente não depende de profissão, mas constitui um atributo excepcional ao profissional da saúde que se propõe a esse desafio. Assim, considerando que “a representação da dor não é o mesmo que seu padecimento”, o profissional da saúde deve buscar algo que é indispensável nesse campo de atuação: a experiência para entender pacientes com queixas de dor.

      A dor é um fenômeno universalmente conhecido. É subjetiva, uma percepção particular de cada indivíduo. Tem sido descrita como simplesmente aquilo que o indivíduo que a está experimentando diz que é. Por ser uma experiência subjetiva, a intensidade e a duração, bem como o significado atribuído, são determinados pelo indivíduo.

     Considerando-se a complexidade que envolve a sensação dolorosa, é de fundamental importância compreender os mecanismos envolvidos no sintoma doloroso, as estratégias de avaliação da dor e, assim, propor modalidades de tratamento farmacológico e não farmacológico para o seu alívio.

A proposta do nosso curso é oferecer ao enfermeiro o conhecimento necessário e atualizado para melhor atender o paciente nas suas demandas de modo humanizado e único. O conhecimento aqui adquirido possibilitará ao enfermeiro sentir-se inteirado e seguro para prestar uma assistência de qualidade no manejo da dor do paciente, independente do âmbito o qual se encontra.

Ao longo de 41 anos, mudanças revolucionárias ocorreram na compreensão do fenômeno da dor, além de publicações muito importantes no que se refere a sua definição e classificação, especialmente na última década. Antigamente, uma visão dicotômica considerava a dor apenas como nociceptiva ou neuropática, fato que excluía outras condições, tal como a fibromialgia. Em 2016 surgiu um terceiro descritor, dor nociplástica, para melhor classificar outras condições dolorosas.

Recentemente, alguns profissionais e pesquisadores da área de dor argumentaram que os avanços no entendimento da dor justificavam uma reavaliação da definição, apresentando propostas de modificação, fortes opiniões em favor ou em oposição à necessidade de revisão e, portanto, propuseram modificações ao longo dos últimos anos.

Segundo a IASP (Associação Internacional para o Estudo da Dor), dor é conceituada como “uma experiência sensitiva e emocional desagradável associada, ou semelhante àquela associada, a uma lesão tecidual real ou potencial”. Cada vez mais, pessoas têm sofrido de alguma dor, e como vimos, a dor é uma experiência pessoal. E para tratarmos, é necessário lançarmos mão de métodos e avaliações que melhor possam manejar a dor de cada paciente.

Com base nisso, vemos a necessidade e a relevância de nos especializarmos para atender o paciente com dor, seja ela aguda ou crônica, e nada melhor do que nos capacitarmos da maneira mais completa possível: conhecimento teórico atualizado e com metodologias atraentes, sempre valorizando a humanização no atendimento.

 

Objetivos:

- Introduzir a temática dor em seus diversos aspectos.

- Aprofundar a temática dor no aspecto ético e bioético.

-  Avaliar a dor do paciente;

- Conhecer a fisiopatologia da dor bem como seus mecanismos associados.

- Conhecer medidas alternativas para manejo da dor.

-  Abordar as terapias farmacológicas no manejo da dor.

 

A quem se destina: graduados em Enfermagem


Carga horária: 360h.

Duração: Aproximadamente 12 meses.

100% online, sem encontro presencial.

As aulas são compostas por materiais escritos e vídeos gravados explicativos intermediários, atividades como: fóruns, testes e avaliações dissertativas que serão realizadas através do Ambiente Virtual de Aprendizagem.

MATRIZ CURRICULAR:

- TECNOLOGIA EM SAÚDE

Princípios da avaliação tecnológica em saúde (ATS), sua função e a relação entre a pesquisa e a tomada de decisões envolvendo tecnologias em saúde. Apresenta os tipos de ATS e a relação entre a pesquisa e a tomada de decisão. Avaliação de tecnologias em saúde.

- POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE

Conceito de saúde-doença. Determinantes sociais da saúde. Histórico e organização da saúde pública no Brasil. Modelos de atenção à saúde. Sistema Único de Saúde (princípios, diretrizes, evolução e desafios). Redes de Atenção à Saúde. Saúde Suplementar. Vínculos terapêuticos e trabalho em equipe. Humanização em saúde. Adesão ao tratamento. Liderança, comunicação e corresponsabilização na atuação em saúde.

- GESTÃO DE PESSOAS EM ORGANIZAÇÕES HOSPITALARES

Organização, processos de trabalho e comportamento humano em ambiente de permanente mutação. configuração organizacional em saúde. práticas contemporâneas de recrutamento e seleção, cargos e remuneração. gerenciamento de desempenho de pessoal em saúde. indicadores administrativos de mudança para uma organização de aprendizagem.

- NEUROFISIOLOGIA DA DOR CRÔNICA

Definição de Dor. Fundamentos Teóricos da Dor. Teoria da Neuromatriz- Neuroassinatura. Conceito e Princípios da Sensibilização Periférica. Dor Crônica e Sensibilização Cetral.Influências Centrais.Flags.Sistemas envolvidos pela percepção da Dor.

- FISIOPATOLOGIAS DAS SINDROMES DOLOROSAS

Aspectos conceituais sobre a dor . Dor: considerações gerais. Princípios gerais para o tratamento da dor. Aspectos psicológicos no enfrentamento da dor.

-ASPECTOS ÉTICOS E BIOÉTICOS NO MANEJO DE DOR

Aspectos Gerais sobre Dor. Aspectos Éticos e Bioéticos no Manejo da Dor. Dor em Situações Especiais.

-ESTUDO, IDENTIFICAÇÃO DOS SINTOMAS NO MANEJO DA DOR

Avaliação do Paciente com Dor. Tópicos Avançados em Manejo da Dor.

- TERAPIAS ALTERNATIVAS NO MANEJO DA DOR

Tratamento da Dor. Métodos Alternativos para Manejo da Dor. Terapêutica não Intervencionista para Manejo da Dor.

-TERAPIAS FARMACOLÓGICAS NO MANEJO DA DOR

Analgésicos Anti- Inflamatórios não Hormonais ( AINHS). Analgésicos Opioides/Opiáceos. Analgésicos Adjuvantes.

- AVALIAÇÃO FINAL

No final, o aluno realizará uma avaliação, contendo questões relacionadas aos conteúdos ministrados ao longo do curso.


A seleção é constituída das seguintes etapas:

1. Preenchimento de ficha de inscrição;

2. Pagamento da primeira mensalidade por meio de boleto bancário;

3. Encaminhamento da seguinte documentação para o endereço de e-mail: documentos@posead.saocamilo.br

a) histórico escolar;

b) diploma de Curso de Graduação ou demais Cursos Superiores (fotocópia autenticada) ou, em caráter excepcional e provisório, a certidão de conclusão de Curso Superior, emitida por Instituição de Ensino Superior (IES) reconhecida.

c) cópia da cédula de identidade;

d) cópia do CPF;

e) uma fotografia no tamanho 3 x 4 atual;

f) curriculum vitae resumido.