No mundo, há cerca de 37,9 milhões de pessoas vivendo com o HIV

Postado em 03/12/2019



No dia 1° de dezembro, vários países comemoram o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Essa data foi instituída como forma de despertar a consciência sobre a necessidade da prevenção da doença, promover o entendimento sobre essa pandemia e incentivar a discussão sobre a Aids pela sociedade e pelos órgãos públicos. No Brasil, a data começou a ser comemorada no final dos anos 1980, envolvendo os governos federal, estaduais, distrital e municipais e organizações sociais.
 

A campanha do Dia Mundial tem como público primordial os jovens de 15 a 24 anos. Essa escolha foi feita ao se levar em conta dados comportamentais, como o maior número de parceiros casuais entre os jovens em relação aos não jovens, bem como o elevado índice de jovens (40%) que declaram não usar preservativo em todas as relações sexuais.
 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo, há cerca de 37,9 milhões de pessoas vivendo com o HIV (dados obtidos em 2018), o vírus da Aids. A conscientização passa não apenas por informar as pessoas sobre a doença, seus sintomas, tratamento e prevenção, mas, também, lutar contra o preconceito de que são vítimas os portadores do vírus HIV.

 

Contaminação e transmissão

O vírus HIV é transmitido pelo contato de fluidos corporais de uma pessoa infectada com o sangue de uma pessoa saudável, por meio de relações sexuais sem proteção (preservativo), transfusões de sangue ou compartilhamento de seringas e agulhas. O teste para detectar o vírus deve ser feito de 40 a 60 dias após o comportamento de risco, pois antes desse período o exame pode não detectar a presença do vírus no sangue.

 

Sintomas

Os sintomas da contaminação com o vírus da Aids incluem mal-estar geral, febre, tosse seca e dor de garganta, assemelhando-se, muitas vezes, com os sintomas de um resfriado comum. Eles duram cerca de 14 dias, podendo surgir de 3 a 6 semanas após a contaminação com o HIV. Confira os sintomas mais comuns:
 

  1. 1. Febre persistente.
  2. 2. Tosse seca prolongada e garganta arranhada.
  3. 3. Suores noturnos.
  4. 4. Inchaço dos gânglios linfáticos por mais de 3 meses.
  5. 5. Dor de cabeça e dificuldade de concentração.
  6. 6. Dor nos músculos e nas articulações.
  7. 7. Cansaço, fadiga e perda de energia.
  8. 8. Perda rápida de peso.
  9. 9. Candidíase oral ou genital que não passa.
  10. 10. Diarreia por mais de 1 mês, náusea e vômitos.
  11. 11. Manchas avermelhadas e pequenas bolinhas vermelhas ou feridas na pele.
     

Esses sintomas geralmente surgem quando o vírus HIV está presente em grande quantidade no organismo e as células de defesa apresentam número muito baixo em comparação com um indivíduo adulto saudável. Além disso, na fase em que a doença apresenta sintomas, geralmente surgem doenças oportunistas como hepatite viral, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose ou citomegalovirose, pois o sistema imunológico se encontra deprimido.

 

Como atua o HIV?

O organismo infectado pelo HIV tem as células brancas atacadas. São elas as responsáveis pela proteção do corpo humano e pelo combate de doenças; por isso, quem tem o HIV fica fragilizado e suscetível a contrair outras doenças, como pneumonia, herpes e alguns tipos de câncer. A doença ainda não tem cura, mas existem tratamentos, como os coquetéis antiaids, que permitem à pessoa infectada ter qualidade de vida, se a doença for diagnosticada a tempo.

 

Referências: aids.gov.br; unaids.org.brgreenme.com.br; tuasaude.com;