Pós pandemia: qual o futuro da enfermagem?

Postado em 26/10/2021



Como conseguir a melhor capacitação pra se tornar um profissional diferenciado no ramo da enfermagem sem sofrer com os altos e baixos da profissão.

 

Em 2019 os profissionais da Enfermagem e Obstetrícia foram eleitos pela Assembleia Mundial da Saúde como representantes da saúde em 2020; esse marco já sinalizava a necessidade de um movimento em favor do reconhecimento da profissão, visando buscar investimentos no setor e melhoria nas condições de trabalho.

Com o estopim da pandemia de covid 19 ficou ainda mais latente a importância da boa atuação dos profissionais de enfermagem no combate ao vírus e tratamento de pacientes, a categoria ganhou a visibilidade necessária para que além do reconhecimento, fosse observada a necessidade de melhoria nas condições de trabalho dos enfermeiros.

Há décadas, especialmente no Brasil, a categoria sofre com a falta de reconhecimento, baixos salários, carga horária elevada, condições críticas nos hospitais, cujo investimento é insuficiente, especialmente na rede pública.

Todos esses problemas interferem diretamente na qualidade do atendimento prestado aos pacientes e ao público em geral, por isso esse debate se faz tão necessário, para que os profissionais do futuro tenham mais condições de sucesso do que os atuais, que não à toa, ganharam o apelido de heróis nacionais durante a pandemia.   

Segundo informações da OMS – Organização Mundial de Saúde, a demanda por profissionais da área de enfermagem, cresceu bastante e estima-se que até o ano de 2030, 9 milhões de enfermeiros serão necessários para atender a demanda do sistema de saúde no mundo inteiro.

 

Continue com a gente e saiba tudo sobre as novas possibilidades do mercado para os profissionais da enfermagem!

 

Entenda o contexto:

Um estudo chamado “Fotografia da Enfermagem no Brasil”, feito pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS), aponta através de pesquisas com a participação do Centro Colaborador da OPAS/OMS para o Desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem, com sede na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP, que no Brasil existem mais de mil escolas oferecendo graduação em enfermagem.

Sendo que 45% dos profissionais da área estão na região Sudeste do país, que inclusive conta também com o maior número de instituições de ensino, melhores condições de trabalho e de remuneração. Ao contrário da região Norte do país, que tem os números mais baixos de profissionais, condições e salários, e durante a pandemia de covid – 19, ficou claro o quanto essas más condições afetam o desempenho dos profissionais no atendimento aos pacientes.

Ainda de acordo com esse levantamento, no Brasil, 70% dos profissionais da área da saúde são enfermeiros, desses:

- 76% são profissionais de nível médio/ técnico e auxiliares.

- 24% são profissionais graduados.

Em comparação a nível mundial acontece o oposto:

 

- 69% são profissionais graduados.

- 22% são profissionais de nível médio/técnico e auxiliares.

Isso acontece porque os baixos salários fazem com que os enfermeiros de nível técnico tenham mais chance de conseguir um emprego, porém, as custas de duplas jornadas e trabalhos extras que influenciam diretamente na qualidade do atendimento aos pacientes, além de causar alta rotatividade nos hospitais.

 

A seguir, uma lista dos pontos fortes e fracos que um profissional da área de enfermagem precisa considerar:

 

Pontos fortes:

- Exerce serviço essencial

- A profissão é regulamentada e protegida por um conselho

- Demanda habilidades técnicas específicas

- Requer habilidades humanas de relacionamento e empatia

- Ganhou visibilidade durante a pandemia de covid – 19

- Novas especializações ampliam o leque de atuação profissional

 

Pontos fracos:

- Considerada profissão secundária em comparação a medicina

- Salários baixos e condições de trabalho inadequadas

- Baixa probabilidade de ocupar cargos de liderança

- Dupla jornada para complementar a renda

- Falta de investimento no sistema público de saúde (SUS)

 

Novas possibilidades para o futuro:

Apesar de todos os problemas que dificultam o bom desempenho no exercício da enfermagem, existe a possibilidade de exercer funções diferentes das tradicionalmente conhecidas e isso abre várias portas para os profissionais da área, mostrando que a enfermagem é muito mais completa do que imaginamos, uma vez que inclui profissionais em diversos ambientes clínicos e de todos os níveis de atividades.

Conheça agora as áreas que possibilitam novos horizontes para os profissionais da enfermagem:

  

- Enfermagem Forense:

Um ramo que é bastante promissor é o da enfermagem forense, que alia técnicas da enfermagem a questões jurídicas. Nesse caso, o enfermeiro forense exerce um papel bastante relevante no momento das investigações criminais, além de prestar assistência a vítimas, familiares e até o próprio agressor em casos de violência.

 A Associação Brasileira de Enfermagem Forense especifica quais as competências do profissional que escolhe essa área: 

- Investigação da morte

- Traumas, abusos sexuais, maus-tratos e outras formas de violência

- Testemunho pericial

- Conservação de vestígios

- Enfermagem carcerária

- Desastre em massa

- Acolhimento de famílias em situação de processos em área civil e criminal

- Auxílio em delegacia especializada da mulher

- Acompanhamento de conselhos tutelares

- Auxílio em exames de corpo delito, medida cautelar e conjunção carnal

 

Há também novas áreas de atuação para os profissionais da enfermagem:

- Envelhecimento da população – necessidade de cuidados com idosos

- Combate à violência contra a mulher – enfermagem forense

A pandemia evidenciou a necessidade de valorização da categoria e com a profissão em evidência, há mais chances de obter êxito nas demandas essenciais para o bom desempenho da profissão.

 

Grandes perspectivas para a nova geração

Em entrevista ao site Radar do Futuro, Vitória Cunha de 22 anos, estudante de enfermagem e membro da Diretoria de Ensino da Liga de Processo de Enfermagem (Lape) da Faminas BH, afirma que:

“O ano de 2020 foi um divisor de águas para o cenário da saúde mundial, a pandemia do Covid-19 trouxe em destaque a importância da multidisciplinaridade para o atendimento assistencial de qualidade”.

Na opinião da universitária, a profissão precisa ter seus direitos garantidos para exercer o ofício com segurança, autonomia e qualidade:

 “Só conseguiremos alcançar valorização e reconhecimento quando os órgãos gestores nacionais e internacionais priorizarem as políticas públicas voltadas para a saúde”, ressalta.

 

Vitória ressalta ainda que são poucas as pessoas, até mesmo da própria área de atuação, que conhecem a diversidade de práticas que um profissional da enfermagem pode exercer:

 “O enfermeiro não está voltado só para a prática assistencial e tecnicista. Ele também está voltado para a parte de gestão, para a parte empreendedora, de pesquisa, acadêmica, de ensino, de supervisão”, diz a jovem ainda em entrevista ao site Radar do Futuro.

Segundo a estudante, o futuro da enfermagem está ligado ao empoderamento do profissional, ele precisa ver a si mesmo como amplificador, disposto a gerenciar e minimizar riscos de forma autônoma e no local de trabalho escolhido.

Outro ponto importante a se destacar é a multidisciplinaridade na área da saúde, defendida por Vitória:

“Para que a enfermagem tenha sua importância reconhecida, temos de entender a importância da multidisciplinaridade. É fundamental que o médico, o fisioterapeuta, o psicólogo e o enfermeiro estejam alinhados em um único foco”, pontua.

Na entrevista, a estudante ainda falou sobre a perspectiva da nova geração de enfermeiros para o futuro:

“Temos lutado pelas 30 horas semanais trabalhadas, pelo reconhecimento e pelo direito de exercer práticas assistenciais básicas como a inserção de um DIU e a realização de uma ultrassonografia de qualidade. Isso já devia ser inerente à profissão. Acredito que vamos conquistar mais autonomia, os nossos direitos para poder exercer a nossa profissão sem competir com o lugar do outro profissional de saúde, sempre cientes da nossa importância perante à sociedade”.

Esse é o desejo e a luta da Vitória e de muitos outros profissionais da enfermagem no Brasil, por isso é vital que estejam cada vez mais capacitados, pois com uma especialização de qualidade é possível dominar o mercado e ter respaldo para alcançar novas conquistas!

 

E você, já pensou em investir na profissão que ama? Conheça todas as vantagens da Pós Graduação em Enfermagem São Camilo!

 

Queremos ver você, um (a) profissional preparado para o futuro.

Compartilhe essa notícia