Desenvolvimento das funções cognitivas

Postado em 11/03/2020



Tempo aproximado de leitura: 4 min.

Nesta matéria, iremos desvendar algumas particularidades das funções cognitivas. Vamos juntos?

Possibilitar um desenvolvimento que inclua todas as funções cognitivas e suas capacidades criadoras é imprescindível para formar pessoas independentes e saudáveis, física e psicologicamente.

A cognição proporciona os sentidos de percepção, compreensão e integração, e é por isso que as capacidades de aprendizagem são tão importantes. São elas que nos ajudam a lidar com o ambiente e contexto em que vivemos, bem como criar laços e relações com as outras pessoas.

O que é cognição?

São muitas as investigações a respeito do processo cognitivo e de seu desenvolvimento. Para que possamos entender melhor as especificidades deste processo, primeiro necessitamos entender o que é a cognição.

A capacidade cognitiva está intimamente ligada ao aprendizado e à construção de conhecimento. Além disso, diz respeito a um conjunto de funções cognitivas que abrangem percepção, memória, capacidade de abstração e imaginação, entre tantas outras instâncias da construção de conhecimento.

Quais os estágios de desenvolvimento das funções cognitivas?

Segundo a professora Angélica do Carmo da Silva Chico¹, docente do MBA em Educação Cognitiva: Gestão da Aprendizagem Mediada da São Camilo, para que a aprendizagem aconteça, é necessário um bom funcionamento das funções cognitivas, pois as dificuldades de aprendizagem ocorrem quando as elas se encontram deficientes ou prejudicadas.

De acordo com Piaget, o desenvolvimento cognitivo se divide em quatro etapas:

  • sensório-motor (0 a 2 anos): a relação com o meio ambiente se dá pela ação e experimentação direta; é um período onde a prática e as ações de reflexo predominam;
  • pré-operatório (2 a 7 anos): a percepção abstrata começa a ser ampliada devido à capacidade de simular e imaginar situações, figuras e pessoas semelhantes;
  • operações concretas (7 a 12 anos): nesse estágio a lógica começa a se desenvolver e a criança, ao seu modo, organiza, sistematiza e relaciona com o cotidiano, e ainda depende do mundo concreto para realizar abstrações; e
  • operações formais e pensamento hipotético dedutivo: a criança pode realizar abstrações sem necessitar de representações concretas e pode, também, imaginar situações imaginadas por ele.

As funções cognitivas da linguagem, atenção, memória, percepção e as funções executivas são desenvolvidas desde o estágio sensório-motor; desta forma a criança precisa ser estimulada por meio da aprendizagem mediada, a fim de que seja respeitada de acordo com seu ritmo e habilidades.

Ainda segundo a professora Angélica do Carmo, a aprendizagem mediada acontece de maneira planejada, por meio da intencionalidade das propostas e da atribuição de um significado. Quando a aprendizagem é significativa, despertará no indivíduo a reciprocidade, ou seja, o desejo do “aprender”, e possibilitará estabelecer as conexões com o cotidiano.

Qual o papel do profissional com especialização em Educação Cognitiva com foco na gestão de aprendizagem mediada? >

O profissional com especialização em Educação Cognitiva com foco na gestão da aprendizagem mediada poderá, por meio de instrumentos adequados, ampliar as possibilidades de aprendizagem ou o ato de aprender, bem como o desenvolvimento das funções cognitivas, essenciais para que o processo da construção do conhecimento aconteça e contribua para a formação integral do sujeito.

Atualmente, os casos de dificuldades, bem como transtornos/distúrbios de aprendizagem vêm aumentando consideravelmente. O profissional com MBA em Educação Cognitiva poderá contribuir para que os indivíduos aprendam através da mediação, atuando de maneira efetiva tanto na questão preventiva como nas dificuldades instaladas, além de possibilitar a construção do conhecimento, no sentido de perceber ou compreender por meio da razão ou experiência, bem como a sua utilização em diferentes espaços.

6 motivos para começar uma pós EAD

Contudo, o processo de construção do conhecimento inicia desde o primeiro contato com o mundo e se estende por toda a vida. A gestão da aprendizagem mediada prepara um indivíduo competente para atuar no mercado de trabalho com pleno desenvolvimento das funções cognitivas e socioemocionais, tornando-o apto a enfrentar os desafios do mercado de trabalho.

¹Professora Angélica do Carmo da Silva Chico é mestra em Ensino, História das Ciências e Matemática pela Universidade Federal do ABC – Ufabc (2017). Possui graduação em Pedagogia e especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional pelo Centro Universitário de Santo André – Unia (1997). Atualmente é Orientadora Educacional no colégio Stagio, professora da Universidade Municipal de São Caetano do Sul na pós-graduação nas modalidades presencial e EaD, professora da Universidade Estácio de Sá na pós-graduação na modalidade EaD, professora e supervisora de estágio em Psicopedagogia na Policlínica da Universidade Metodista de São Paulo na pós-graduação (UMESP) na modalidade presencial, tutora presencial EaD na Universidade Presbiteriana Mackenzie e professora EaD – Centro Universitário São Camilo e Psicopedagoga Clínica – Consultório Psicoeudaimonia (texto extraído do Lattes).