Tecnologia de alimentos: Os conservantes e os alimentos orgânicos

Postado em 17/02/2021



Os conservantes estão muito presentes no nosso dia a dia, seja em alimentos, remédios ou cosméticos. Vamos falar sobre o que são esses conservantes, quais os seus malefícios e a importância dos alimentos orgânicos, com nossa convidada, professora mestra Sandra Dualibi.

De acordo com pesquisa realizada pelo BHB Foods e Suplementos, existem cinco tendências para a alimentação dos brasileiros nos próximos anos, que são:

 

1 - Cardápio plant-based, ou seja, cardápios cada vez mais à base de vegetais.

2 - Busca por marcas clean label, ou seja, que ofereçam alimentos sem aditivos, como corantes e conservantes.

3 - Maior procura por alimentos proteicos. 

4 - Busca por alimentos indulgentes, também conhecidos como comfort food.

5 - Crescimento na procura por suplementos.

 

Entre as tendências, como vemos, está a procura de cardápios que sejam compostos por alimentos sem aditivos, por exemplo, corantes e conservantes. Para complementar nossos conhecimentos sobre os malefícios dos conservantes e a importância dos alimentos orgânicos, convidamos a professora mestra Sandra Rojas Dualibi, docente do curso de Pós EAD em Tecnologia do Alimento, para uma entrevista.

Confira:

 

O que são conservantes e como é feita a conservação de alimentos hoje em dia?

Professora Mestra Sandra Dualibi – Conservantes são substâncias cujo objetivo é prolongar o tempo de vida útil do alimento, sendo fundamentais para o abastecimento de produtos quimicamente estáveis e seguros. 

De origem sintética ou natural, quando adicionados a alimentos ou bebidas, retardam ou inibem a proliferação de micro-organismos, em especial, leveduras, fungos e bactérias.

Por não alterarem as propriedades químicas, nutritivas e físicas dos alimentos, são considerados aditivos com o único objetivo de conservar o produto. Afinal, um dos maiores desafios enfrentados pela indústria alimentícia é a conservação.

Diferenciam-se por sua ação no alimento, por exemplo:

  • - Antioxidantes: o ácido ascórbico, também conhecido como vitamina C, é um antioxidante comumente utilizado em alimentos.
  • - Antimicrobianos: sua função é inibir microorganismos que podem afetar a qualidade do alimento.
  • - Sal é um exemplo tradicional desse tipo de conservante, absorvendo a umidade presente nos alimentos, evitando que absorvam a água presente no ar e, consequentemente, impedindo o desenvolvimento de micro-organismos.
  • - Inibidores enzimáticos: são adicionados ácidos orgânicos para inibir o crescimento enzimático, como ácido málico, ácido cítrico, ácido cinâmico, ácidos orgânicos e ácido ascórbico. 
  • - Dióxido de enxofre: comumente utilizado na fabricação de vinhos, o dióxido de enxofre e seus sais (bissulfito de potássio, sulfito de sódio, metabissulfito de potássio, sulfito de potássio, bissulfito de sódio) inibem o crescimento de bactérias, leveduras e bolores, além de impedirem o escurecimento enzimático dos alimentos.

 

Você também pode gostar de:

+ Saiba tudo sobre as áreas de atuação em Nutrição

+ A atuação da vigilância sanitária e qualidade de alimentos na pandemia de Covid-19

+ Guia para escolher o seu curso de pós-graduação: MBA ou especialização?

 

Quais os malefícios desses conservantes para a saúde? O que eles podem causar no organismo?

Professora Mestra Sandra Dualibi – Há vários conservantes naturais que não oferecem risco, o que acontece também com os sintéticos, desde que não consumidos em excesso. E esse é o problema, a dieta com produtos industrializados pode levar ao consumo excessivo de certas substâncias, resultando em reações alérgicas.

 

Os alimentos sem conservantes são mais benéficos para a saúde do que os com conservantes?

Professora Mestra Sandra Dualibi – Sempre dependerá do tipo de conservante, mas a ausência dessas substâncias afasta a possibilidade de saturação no organismo, portanto, alimentos sem conservantes são mais benéficos.

 

Por que os alimentos orgânicos são importantes?

Professora Mestra Sandra Dualibi – Se considerarmos que alguns conservantes podem desencadear reações alérgicas, mesmo em pequenas concentrações, os alimentos orgânicos são ideais para o grupo populacional que manifesta reações alérgicas. Vale destacar que esses alimentos necessitam de métodos de conservação adequados, como refrigeração ou congelamento.

 

O que o profissional de Tecnologia de Alimentos faz?

Mas, qual é o profissional que está ligado ao processo de desenvolvimento de alimentos e que estuda também os processos de conservação desses alimentos? Vamos conhecer o que faz um profissional de Tecnologia de Alimentos!

O tecnólogo de alimentos é o profissional responsável por estudar os alimentos, desde sua composição até a comercialização. E, por suas realizações, é um profissional de extrema importância para a indústria alimentícia.

A Tecnologia em Alimentos é definida como a aplicação de métodos e técnicas para a seleção de matéria-prima, preparo, armazenamento, controle, conservação, embalagem, distribuição, utilização do alimento e desenvolvimento de produtos.

Para ser um tecnólogo de alimentos de sucesso, são necessários alguns conhecimentos específicos, como:

 

• entender como funciona o processo de industrialização e conservação de alimentos e bebidas;

• saber como aplicar a gestão no seu dia a dia;

• ter noções aprofundadas em inspeção da qualidade dos alimentos, bebidas, e, também, de suas matérias-primas;

• realizar análises biológicas na produção de alimentos;

• compreender como funcionam os equipamentos utilizados no dia a dia;

• desenvolver projetos de viabilidade econômica em processamento de alimentos.

 

Para isso, existem os cursos de especialização profissional na área, que podem te auxiliar a aprofundar mais ainda esses conhecimentos.

 

Conheça a Pós EAD em Tecnologia do Alimento

Com o objetivo de capacitar os profissionais para a atuação no mercado de trabalho, com foco em promover conhecimentos que embasam e acompanham as mudanças e as inovações na produção de alimentos.

Durante o curso são abordados assuntos como: tecnologia de amidos, farinhas e derivados; gerenciamento de resíduos industriais; vegetais minimamente processados; processos tecnológicos de carnes e derivados; e liofilização aplicada a alimentos.

 

Vantagens da Pós EAD em Tecnologia de Alimentos

• Ampliar conhecimentos específicos em Tecnologia de Alimentos. 

• Ampliar o seu networking (rede de contatos).

• Reconhecimento no mercado de trabalho.

• Aulas 100% online.

• Flexibilidade de horários: o EAD se encaixa na sua rotina.

• Melhor custo-benefício.

• Certificado credenciado pelo e-MEC.

Por isso, se o seu desejo é se tornar uma autoridade em Tecnologia de Alimentos e, assim, conseguir melhores oportunidades de trabalho, com cargos elevados, a realização de uma pós-graduação pode ajudar a alcançar os seus objetivos.

----

 

Sobre a Professora Mestra Sandra Rojas Dualibi

Mestra em Nutrição Humana Aplicada pela Universidade de São Paulo – PRONUT (2004). Graduada em Ciências Biológicas e Modalidade Médica pela Organização Santamarense de Educação e Cultura (Osec, 1982), atual Unisa. Diretora da empresa SRD Consultoria Empresarial. Atua como Consultora e Auditora de BPF na cadeia produtiva de alimentos, Sistema HACCP e HARCP.

Compartilhe essa notícia